ATENÇÃO! Informe do Grupo de Empregos em Brasília...

Cada empresa é responsável pela a própria vaga divulgada, bem como, todas as informações que constam nela. Não cabendo ao grupo responder por nenhuma das vagas divulgadas.
O GEBE não possui relação com instituições do Governo. Lutamos contra o desemprego com recursos próprios ou doações!

Ao enviar o seu currículo, informar no corpo do e-mail que a vaga foi anunciada no GEBE OPORTUNIDADES.

Trabalho Voluntário

Veja a importância do voluntariado



Além do desenvolvimento pessoal, é possível obter ganhos para a carreira


Dedicar-se a algum trabalho voluntário pode ser significativo para sua carreira. As empresas valorizam este aspecto devido à mudança que esta atividade causa em quem a desenvolve e pela experiência adquirida. "Imagine uma pessoa que nunca teve contato com a realidade das favelas, hospitais públicos ou com as dificuldades de doenças graves e deficiências físicas ou mentais. Quando ela passa a conviver com isto, a visão de mundo muda completamente, ela descobre um outro universo", conta o coordenador do Centro de Estudos do Terceiro Setor da FGV (Fundação Getúlio Vargas) de São Paulo, Luis Carlos Merege. Para ele, questionamentos nascidos desta descoberta provocam alterações também nos hábitos de consumo. "Muitos percebem que com sua renda mensal seria possível sustentar dez famílias".
 

Para a consultora de Recursos Humanos do Grupo Foco, empresa especializada em organizar processos seletivos de diversas companhias, Camila Leal Bolzan Diniz, ser voluntário conta pontos a favor do candidato na entrevista de emprego. "Pessoas que prestam esse tipo de serviço, geralmente são pró-ativas, trabalham bem em equipe e tendem a ser mais flexíveis", explica ela.
 

Mas Camila diz que embora as empresas prefiram os candidatos com trabalhos voluntários, é preciso ter cuidado ao contar essas experiências na hora da seleção, há muitos oportunistas. "Muitas pessoas que sabem dessa preferência dos empregadores, dizem que são voluntárias, mas ao serem perguntadas sobre o trabalho, não sabem responder, pois consideram uma visita a um orfanato feita há dois anos, por exemplo, um exemplo de voluntariado", conta Camila.
 

Benefícios em ajudar alguém
- É fácil encontrar quem precisa de ajuda: as ONGs (Organizações não-governamentais) atuam em várias áreas e têm demanda constante dos mais diversos profissionais. Não é difícil encontrar uma com um perfil que lhe interesse e que esteja fisicamente próxima de você.
- Você é quem define o tempo de dedicação: assim fica fácil conciliar com seus estudos. Mas atenção: é preciso ser responsável e manter o compromisso assumido com a entidade.
- É um bom momento para treinar o que você aprende: escolher uma atividade ligada à sua área é a melhor opção.
- Atuação mais abrangente do que num estágio convencional: na maioria das vezes, as estruturas são pequenas, nas quais quem trabalha realiza um pouco de tudo. A ampla visão de todos os aspectos da atuação profissional é extremamente positiva.
- Possibilidade de desenvolver projetos e colocar idéias em prática: em uma entidade, é muito mais simples colocar em prática novas idéias. Grandes empresas possuem processos decisórios mais longos e nem sempre estão abertas a inovações experimentais.
- Sentir que seu trabalho ajuda quem precisa: a intensidade varia de pessoa para pessoa, mas é fácil imaginar a satisfação de ver que seu trabalho está mudando, diretamente, a realidade de pessoas que precisam.
 

Veja como e quem ajudar:

Ser voluntário exige alguns cuidados. Confira dez dicas
1. Todos podem ser voluntários: todos podem contribuir a partir da idéia de que o que cada um faz bem, pode fazer bem a alguém. O que conta é a motivação solidária, o desejo de ajudar, o prazer de se sentir útil. Muitos profissionais preferem colaborar em áreas fora de sua competência específica, exatamente para se abrir a novas experiências e vivências.

 
2. Trabalho voluntário é uma via de mão dupla: Voluntariado é experiência espontânea, alegre, prazerosa, gratificante. O voluntário doa energia, tempo e talento mas ganha muitas coisas em troca: contato humano, convivência com pessoas diferentes, oportunidade de viver outras situações, aprender coisas novas, satisfação de se sentir útil.

 
3. Voluntariado é uma relação humana, rica e solidária: Trabalho voluntário não é uma atividade fria, racional e impessoal. É contato humano, oportunidade para se fazer novos amigos, intercâmbio e aprendizado.

 
4. No voluntariado, todos ganham: A ação voluntária visa a ajudar pessoas em dificuldade, resolver problemas sociais, melhorar a qualidade de vida da comunidade. Seu sentido é eminentemente positivo: ao mobilizar energias, recursos e competências em prol de ações de interesse coletivo, o voluntariado reforça a solidariedade social e contribui para a construção de uma sociedade mais justa e humana.

 
5. Voluntariado é uma ação duradoura e com qualidade:A função do voluntariado não é tapar buracos nem compensar carências. Uma sociedade participante e responsável, capaz de agir por si mesma, não espera tudo do Estado, mas tampouco abre mão de cobrar do governo aquilo que só ele pode fazer.

 
6. A ação voluntária é tão variada quanto as necessidades da comunidade: Tradicionalmente, no Brasil, o voluntariado se concentrou na área de saúde e no atendimento a pessoas carentes. O reconhecimento da urgência de ações nessas áreas não é contraditório com a valorização de novas possibilidades de voluntariado nas áreas de educação, atividades esportivas e culturais, proteção do meio ambiente etc. Cada necessidade social é uma oportunidade de ação voluntária.

 
7. Voluntariado é ação: O voluntário é um pessoa criativa, decidida, solidária. No trabalho voluntário, não há cartórios nem monopólios. Não há hierarquia de prioridades. Não é preciso pedir licença a alguém, antes de começar a agir. Quem quer, vai e faz.

 
8. Cada um é voluntário a seu modo: Alguns são capazes individualmente de identificar um problema, arregaçar as mangas e agir. Outros preferem atuar em grupo. Grupos de vizinhos, de amigos, de estudantes ou aposentados, de colegas de trabalho que se mobilizam para ajudar pessoas e comunidades. Por vezes, é uma instituição inteira que se mobiliza, seja ela um clube, uma igreja, uma entidade beneficente ou uma empresa.

 
9. Voluntariado é escolha: Cada um contribui, na medida de suas possibilidades, com aquilo que sabe e quer fazer. Uns têm mais tempo livre, outros só dispõem de algumas poucas horas por semana. Alguns sabem exatamente onde ou com quem querem trabalhar. Outros estão prontos a ajudar no que for preciso, onde a necessidade é mais urgente. Cada compromisso assumido, no entanto, é para ser cumprido.

 
10. Voluntariado é um fenômeno mundial: A escolha do ano de 2001, pelas Nações Unidas como Ano Internacional do Voluntariado, representa o reconhecimento internacional do voluntariado como fenômeno contemporâneo e global. Esta celebração é uma oportunidade a ser aproveitada para consolidar o voluntariado no Brasil como componente essencial de uma sociedade cada vez mais democrática e participativa.

 
* Artigo publicado no "Guia do Voluntariado", da Associação Tertio Millennio, de autoria de Miguel Darcy de Oliveira, Membro do Comitê Executivo do Conselho da Comunidade Solidária e Coordenador do Programa Voluntários do Conselho da Comunidade Solidária


Lei do Voluntariado
Confira a íntegra da Lei nº9.608, de 18 de fevereiro de 1998, que trata do trabalho voluntário Dispõe sobre o serviço voluntário e dá outras providências.

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA

Faça saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

Art.1. Considera-se serviço voluntário, para fins desta lei, a atividade não remunerada, prestada por pessoa física a entidade pública de qualquer natureza ou instituição privada de fins não lucrativos, que tenha objetivos cívicos, culturais, educacionais, científicos, recreativos ou de assistência social, inclusive, mutualidade.

Parágrafo único. O serviço voluntário não gera vínculo empregatício, nem obrigação de natureza trabalhista previdenciária ou afim.

Art.2. O serviço voluntário será exercido mediante a celebração de termo de adesão entre a entidade, pública ou privada, e o prestador de serviço voluntário, dele devendo constar o objeto e as condições de seu exercício.

Art.3. O prestador do serviço voluntário poderá ser ressarcido pelas despesas que comprovadamente realizar no desempenho das atividades voluntárias.

Parágrafo único. As despesas a serem ressarcidas deverão estar expressamente autorizadas pela entidade a que for prestado o serviço voluntário.

Art. 4. Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação.

Art. 5. Revogam-se as disposições em contrário.
 

Brasília,18 de fevereiro de 1998; 177º da Independência e 110º da República.
Fonte: Universia
_________________________________________________________

A Rede Solidária Anjos do Amanhã é um programa de voluntariado criado em 2006 pela Vara da Infância e da Juventude - VIJ. Hoje, faz parte da sua estrutura organizacional e tem como missão gerar oportunidades para que crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade social residentes no DF possam ter acesso aos direitos previstos no Estatuto da Criança e do Adolescente.
 
O programa nasceu da ideia de reunir e cadastrar ações voluntárias e cruzar com as necessidades apresentadas pelos jurisdicionados da VIJ, de modo a lhes oferecer os recursos adequados ao seu pleno desenvolvimento físico, psíquico e social.
 
Desse modo, a Rede vem ao encontro da postura proativa do Poder Judiciário, que se reveste de caráter preventivo e alternativo de cumprimento de medidas protetivas e socioeducativas. A intenção não é substituir as políticas públicas, mas incentivar a corresponsabilidade entre Estado e sociedade, tendo como beneficiários diretos as crianças e os adolescentes do Distrito Federal.
 
Qualquer pessoa com boa vontade e motivação reúne condições para atuar no voluntariado. Para se tornar um voluntário da Rede Solidária, basta se inscrever pelo site:
www.anjosdoamanha.tjdft.jus.br
ou entrar em contato pelo:
e-mail anjosdoamanha@tjdft.jus.br
ou
pelos telefones (61) 3348-6686/6685.
 
A Rede Solidária Anjos do Amanhã direciona suas ações às crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade social, às suas famílias e às instituições às quais estão vinculados, tais como: instituições de acolhimento, casas de semiliberdade e de internação, instituições socioeducativas em meio aberto, creches e projetos sociais que desenvolvem ações de proteção a esse público-alvo.
 
Com o apoio de seu voluntariado, os Anjos do Amanhã proporcionam ao seu público-alvo os seguintes benefícios:
  • Atendimento médico, odontológico e psicológico.
  • Cursos de capacitação e profissionalização.
  • Inclusão digital.
  • Curso de línguas.
  • Reforço escolar.
  • Inserção no mercado de trabalho.
  • Palestras e cursos de formação aos dirigentes e técnicos das instituições beneficiárias.
  • Atividades de lazer, cultura e esporte.
  • Doações de alimentos e bens diversos.
  • Apoio aos dirigentes e técnicos das instituições e dos projetos sociais que desenvolvem programas de proteção ao público-alvo da Rede Solidária.
  • Fortalecimento da rede social de proteção à infância e à adolescência em situação de vulnerabilidade no DF.

Viagem e/ou Hotel em Promoção

Booking.com